22/09/2019 Casamento e finanças

Casamento e Finanças

 A Bíblia é o Livro base para a Edificação Familiar e ela deixa claro a quem pertence todo o Ouro e Toda a Prata (Ageu 2.8), símbolos que representam os bens materiais. Deus é o proprietário de todas as riquezas e, pela sua bondade e para nosso uso fruto, deu a nós o direito de posse. Somos mordomos dEle, e nossas decisões e atos devem promover o bem da humanidade (Lucas 6.31) e a expansão do seu Reino (Marcos 16.15), através da Igreja. O cristão decidido a ser um verdadeiro discípulo de Jesus Cristo têm responsabilidades enquanto estiver vivendo nesta terra, o mesmo tempo que define a posse. Muitos versículos nos ensinam a sermos mordomos aprovados pelo SENHOR!

– Como ganhar dinheiro? Trabalhar é a ordem de Deus. Gênesis 3.17-19

–  Devo trabalhar sem parar? Reservar tempo para o descanso, a família e o Culto. Êxodo 20.8-11

–  Posso conquistar riquezas? Não amar o dinheiro.   1 Timóteo 6.9-10

–  Como usar o dinheiro? Fazer orçamento. Lucas 14. 28-30.

– Posso comprar qualquer coisa? Estabelecer prioridades. Mateus 6.30-33

– Devo esconder quanto ganho? Manter a unidade familiar. Mateus 19.4-6

–  Preciso pagar impostos? Dar bom exemplo. Marcos 12.13-17

–  Posso pedir empréstimos? Analisar cada situação. Provérbios 22.7

– Preciso poupar? Preparar para as adversidades. Eclesiastes 11.1

– Tenho que contribuir com a igreja? Ser grato a Deus e amar a OBRA dELE. Hebreus 7.1-10

–  Prestarei contas para alguém? Comparecer diante de Deus. Romanos 14.11-12; Mateus. 25.14-30

Outros  ítens poderiam ser escritos. Mas o meu desejo é que você consiga inserir no seu coração, e na sua mente esses aprendizados. Tenho certeza que a vossa visão daquilo que Deus colocou nas vossas mãos será diferente e abençoadora.

Pr Julio Cesar G. Dos Santos

Dicas de Organização Financeira

 – Tenha um orçamento doméstico: Orçamento é um planejamento de curto prazo, no qual se deve listar todas as entradas e saídas de dinheiro. Ou seja, as suas receitas e os seus gastos em um determinado período. É importante fazer um acompanhamento mensal ou semanal para que o orçamento esteja sempre atualizado.

– Saiba o tamanho do seu salário e dos seus gastos mensais: Some todas as suas entradas financeiras e todos os seus gastos de uma maneira organizada e periódica para saber se você é um devedor ou um poupador.

– Verifique se você é um poupador ou devedor: Ao fazer os cálculos, você vai verificar se sobra dinheiro no seu orçamento ou se falta. Existem caminhos diferentes para pessoas poupadoras e devedoras.

– Caso seja um devedor, corte seus gastos desnecessários: Se você é um devedor, é fundamental cortar despesas. Muitas são desnecessárias, como algumas promoções tentadoras ou itens supérfluos. Faça sempre a seguinte pergunta: Essa compra é uma necessidade ou somente um desejo?

– Renegocie sua dívida: Caso seja um devedor com empréstimos pessoais ou dívidas no cartão, no momento as instituições estão abrindo negociações. Também é possível fazer a PORTABILIDADE DE CRÉDITOS, ou seja, você pode transferir uma dívida de uma instituição para outra caso seja mais vantajoso financeiramente, tenha juros e taxas mais baratos.

– Troque sua dívida cara por outra mais barata: É sempre melhor fazer um empréstimo pessoal do que adquirir dívidas no cartão de crédito e no cheque especial. As taxas dos empréstimos são menores.

– Se você é um poupador, procure bons investimentos: Há investimentos melhores do que a caderneta de poupança. Tradicionalmente as pessoas gostam da poupança por ser uma forma segura de poupar dinheiro. No entanto, há outros investimentos tão seguros quanto a caderneta de poupança e muito mais rentável, como os fundos, o rendimento do Certificado de Depósito Bancário (CDB) e o Tesouro Direto.

– Evite cheque especial e pagar o mínimo do cartão de crédito: Todas as pessoas devem evitar essas dívidas. Tanto o cheque especial quanto as dívidas no cartão são créditos pré-aprovados cujas taxas de juros atingem mais do que 400% ao ano.

– Tente-se educar financeiramente: Normalmente, as pessoas não gostam de falar sobre dinheiro, mas ele faz parte do cotidiano. E lidar com o dinheiro é algo que devia fazer parte da educação desde a infância. Esse assunto não pode ser um tabu. Informe-se, leia e procure um especialista para melhorar sua vida financeira.

– Crie um fundo de emergência: O ideal é que todos tenham uma reserva financeira equivalente a três meses de seus salários. E planeje a sua aposentadoria. Lembre-se que quanto mais cedo começar a poupar, mais dinheiro terá na sua aposentadoria e poderá curtir essa fase de uma maneira melhor.

Jornal O GLOBO, Professora GRAZIELA FORTUNATO, Escola de Negócios da PUC-Rio, acessado 19.09.2019.

 

Postar um comentário