Advento: A promessa

2º Advento – A PROMESSA  Isaías 59.1-21

Não vivemos por instinto. Toda decisão que tomamos na vida é alimentada e motivada pela esperança. Estamos sempre em busca de algo que nos traga esperança e, nossa tendência, é procurar em lugares onde ela não pode ser encontrada. Quando a vida fica difícil e confusa, quando você está lidando com o inesperado, quando a sua história não é o que você gostaria que fosse, onde você vai por esperança? Por conforto? Por segurança? Quem (ou o que) é sua esperança? Quatro coisas sobre a esperança:

– A história de Natal é, em si, uma história de esperança.

– O segredo da esperança é a desesperança.

– A esperança, para ser confiável, deve consertar o que está quebrado.

– A esperança não é uma situação, a esperança é Jesus.

 O texto mostra a seguinte sequência:

A ACUSAÇÃO (v.1): Vamos ao texto. Deus, por meio do profeta, está respondendo a uma acusação que o povo de Deus está fazendo contra Deus. Isso, muitas vezes, acontece conosco também.

O DIAGNÓSTICO DIVINO (vv.2-8): Gostamos de pensar que nossos maiores problemas são os outros. Aqui Deus diz ao povo: “Você é o problema“.

A CONFISSÃO (vv.9-15): O diagnóstico é seguido por uma confissão. Dificuldades sempre são momentos significativos de decisão. Ou você fará acusações ou fará uma confissão.

A RESPOSTA DE DEUS (vv.16-20): Deus responde com uma promessa!

O QUE FAZER COM ISSO? A esperança só pode ser esperança quando colocada na pessoa do Messias, o Senhor Jesus, que não apenas nos socorre em momentos de dificuldade, mas que prometeu um lugar na eternidade onde não haverá doença, sofrimento e pecado. A promessa da graça futura é, também, a promessa da graça presente no aqui e agora. Esse é o motivo da esperança. Porque não importa quão perturbador seja a nossa circunstância, podemos acordar de manhã e encontrar esperança na vida.

Pr. Frithold Krüger

Postar um comentário