Quando você orar, não desista!

Quando você orar, não desista!

(Lucas. 18.1-8)

 

 

Hoje estamos continuando a nossa série de mensagens: “Histórias que Jesus contou”! Diversas citações abaixo e a divisão de tópicos baseia-se no comentário de Hernandes Dias Lopes sobre esse texto. Muitos conhecem essa história como A parábola do Juiz Iníquo. Iníquo significa: contrário à equidade, contrário ao que é justo, e podem ser aplicados os seguintes sinônimos: mau, perverso, malévolo.

Esse título do juiz iníquo se encontra em algumas versões da Bíblia, porém na NVI a parábola é chamada de A parábola da viúva persistente.

Neste texto, Jesus primeiro nos dá a lição, depois conta a parábola.

 

1) A oração deve ser perseverante (18.1).

2) A oração é o remédio contra o desânimo (18.1)

3) A oração não é um pedido de um desconhecido a um  magistrado injusto (18.2-6)

4) A oração é um pedido dos escolhidos ao Deus  Justo (18.7)

5) A oração não é atendida conforme a agenda dos homens, mas segundo a vontade soberana de Deus (18.7-8)

6) O fim dos tempos será marcado pelo declínio da fé, portanto, pelo esfriamento da prática da     oração (18.8) 

 

A parábola é um incentivo para que se continue em  oração, sem perder a esperança nos tempos de espera até que o Filho do Homem venha!

(Lucas 17:20-37 – Para ler em casa!)

Que Deus nos abençoe!

 

Presbítero Claudio Wunderlich

 

Publicar um comentário